Variabilidade espacial da resistência do solo à penetração em um sistema de semeadura direta

Autores

  • Jorge Wilson Cortez Universidade Federal da Grande Dourados Faculdade de Ciências Agrárias
  • Carlos Thiago Mercado Moreno Egresso da UFGD
  • Luan Santos Farinha Egresso da UFGD
  • Salvio Napoleão Soares Arcoverde Pós-doutorando da UFGD.
  • Igor Queiroz Morães Valente Doutorando na UNICAMP.

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2019v47n2p175-182

Resumo

A compactação do solo reduz a qualidade estrutural do solo e pode limitar a produção agrícola, devendo ser mo­nitorada periodicamente. A resistência do solo à penetração tem sido utilizada por ser um indicador prático e por estabelecer relação com a densidade e o teor de água no solo. Objetivou-se avaliar a variabilidade espacial da resistência à penetração (RP) de um Latossolo Vermelho distroférrico em sistema de semeadura direta. A coleta de dados ocorreu em área experimental de 10,54 ha, utilizando-se de grade amostral composta de 43 pontos. Em cada ponto, foi determinada a RP a partir de três medições, a partir das quais foi obtida a RP média de cada camada, a RP máxima e a profundidade da RP máxima na camada de 0-0,40 m perfil. Amostras com estrutura deformada foram coletadas de forma aleatória na área, para a determinação do teor de água no solo (U). Ocor­reu dependência espacial para RP dentro da grade amostral. Valores intermediários (2,00-3,00 MPa) e críticos (3,00-4,00 MPa) de RP foram verificados em grande parte da área. Houve aumento da RP com a profundidade, atingindo níveis máximos principalmente entre 0,20 e 0,25 m. A geoestatística permitiu o zoneamento da área definindo regiões com níveis críticos de compactação, auxiliando na tomada de decisões quanto a procedimen­tos de manejo de solo.

Biografia do Autor

Jorge Wilson Cortez, Universidade Federal da Grande Dourados Faculdade de Ciências Agrárias

Possui graduação em Eng. Agronômica - Faculdades Associadas de Uberaba - FAZU (2004), Mestrado (2007) e Doutorado (2009) em Agronomia (Produção Vegetal) pela UNESP/Jaboticabal. Foi professor colaborador nas Faculdades Associadas de Uberaba - FAZU no Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Tecnologias no Setor Sucroalcooleiro com a disciplina: Técnicas de Agricultura de Precisão e geoprocessamento na cultura da cana-de-açúcar (2007-2008). Foi professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF (04/2008 a 02/2013), onde foi Coordenador do Colegiado de Graduação em Engenharia Agrícola e Ambiental (07/2008-06/2010) e também Vice-coordenador do programa de pós-graduação em Engenharia Agrícola (09/2012-02/2013), atuando na área de Mecanização, Máquinas e Implementos Agrícolas e Coordenando o Núcleo Temático em Agricultura de Precisão. Foi Presidente do Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola - CONBEA, no ano de 2009, realizado nas cidades de Juazeiro (Ba)/Petrolina (PE). Atualmente é Professor Adjunto III da Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD, na Faculdade de Ciências Agrárias - FCA, ministrando aulas nos cursos de graduação em Agronomia, Engenharia Agrícola e Zootecnia, nas disciplinas de Mecanização e Agricultura de Precisão. Professor no curso de Pós-graduação Mestrado em Engenharia Agrícola da UFGD/FCA e da UNIVASF, Juazeiro-BA, com a disciplina Relação máquina-solo-planta. Professor Colaborador no Programa de Pós-Graduação Mestrado/Doutorado em Agronomia da FCA/UFGD ministrando a disciplina de Agricultura de Precisão. Coordenador do Curso de Graduação em Engenharia Agrícola da UFGD (2014-2016). Coordenador do Grupo de Pesquisa em Agricultura de Precisão e Mecanização da FCA/UFGD. Editor científico da Revista Científica da UNESP/Jaboticabal e da Revista Agrarian UFGD/Dourados. Consultor Ad Hoc do CNPq e de diversas revistas científicas. Conselheiro do CREA - MS na Câmara Especializada de Agronomia - CEA (2015-2017) e Coordenador Adjunto da Comissão de Educação e Atribuição Profissional - CEAP (2015-2016). Foi Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq (2013-2016). Publicou mais de 110 artigos em revistas científicas e técnicas, mais de 200 comunicações em anais de congressos, além de ter participado de diversos eventos científicos. Orientou 8 dissertações de mestrado e mais de 60 trabalhos de iniciação científica e de conclusão de curso nas áreas de Engenharia Agrícola e Agronomia. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Mecanização, Máquinas e Implementos Agrícolas, atuando principalmente nos seguintes temas: agricultura de precisão, relação máquina-solo-planta, compactação do solo, desempenho de máquinas agrícolas e ruído.

Publicado

04/06/2019

Edição

Seção

Engenharia Rural/Agrícola - Rural/Agricultural Engineering