Biomassa e densidade de anelídeos e miriápodes como indicadores da qualidade de um solo afetado pela mobilização eadição de cobertura morta

Autores

  • Delfim Santana Pinheiro Guterres Júnior Faculdade
  • Emanoel Gomes de Moura Faculdade
  • Alana das Chagas Ferreira Aguiar Faculdade
  • Maria de Nazareth Machado Moraes Segunda Faculdade
  • Nárgila Gomes de Moura Faculdade
  • Altamiro Souza de Lima Ferraz Júnior Faculdade

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2007v35n1p71%20-%2079

Resumo

Para testar a hipótese de que anelídeos e miriápodes podem ser utilizados para ajudar a avaliar a qualidade do solo foi delineado um experimento com quatro repetições, em blocos completamente casualizados, no esquema fatorial 4 x 2, composto por quatro níveis de cobertura morta de 4,6; 3,6 e 3,0 Mg ha- de matéria seca e solo descoberto, e a dois manejos do solo: mobilizado e não mobilizado. No primeiro ano, foi semeada entre as aleias de feijão-guandu (Cajanus cajan), a cultura do algodoeiro (Gossypium hirsutum), e no segundo ano foi semeada a cultura do milho (Zea mays). A coleta da macrofauna incluiu anelídeos e miriápodes. O algodoeiro foi avaliado por meio do índice de área foliar, da taxa de crescimento estimada e no milho foi avaliada a produção de grãos. Anelídeos e miriápodes mostraram-se menos sensíveis do que o algodoeiro quanto às alterações proporcionadas pela cobertura morta nos indicadores da qualidade do solo, mas a densidade e biomassa dos anelídeos e miriápodes aumentaram com a reiteração da cobertura e do plantio direto. Os resultados deste trabalho sugerem que anelídeos e miriápodes devem ser incluídos nas avaliações de médio e de longo prazos de agrossistemas tropicais. Palavras-chave adicionais: argissolo; fauna do solo; plantio direto; indicadores de solo.

Publicado

19/03/2009

Edição

Seção

Melhoramento Genético Animal - Animal Breeding