Tratamento hidrot&eacute;rmico de frutos de laranjeira (<em>Citrus sinensis</em>) Var. &lsquo;Val&ecirc;ncia&rsquo;, visando ao controle de ovos e larvas de <em> Ceratitis capitata</em> (Wied., 1824) (<em>Diptera: Tephritidae</em>)

Autores

  • Nuno Miguel Mendes Soares de Albergaria Faculdade
  • Háyda Oliveira Souza Dória Faculdade
  • Sérgio Antonio de Bortoli Faculdade
  • Valter Arthur Faculdade

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2007v35n2p146%20-%20154

Resumo

Conduziu-se o presente trabalho com o objetivo de estudar a eficiência do tratamento térmico com água quente no controle de Ceratitis capitata (Wied., 824) (Diptera: Tephritidae) em laranja (Citrus sinensis) var. ‘Valencia’ em pós-colheita e também a influência do tratamento nas propriedades quí­micas dos frutos. Para isso, foram realizados tratamentos em frutos com ovos, larvas de o/2o ínstar e de 3o ínstar, nas temperaturas de 44 e 46 ºC e nos tempos de 5; 30; 60; 90 e 20 minutos e um controle sem tratamento. Os tratamentos não influenciaram nas propriedades químicas dos frutos. Na temperatura de 46 ºC, todas as fases da mosca apresentaram mortalidades de 00% com 90 minutos. O tratamento com água quente a 44 ºC nos mesmos 90 minutos mostrou menor eficiência, com por­centagem de controle de 00; 93,2 e 98,6% para as fases de ovo, larvas de o/2o ínstar e de 3o ínstar, respectivamente, sendo que, para larvas de 3o ínstar, a mortalidade não alcançou 00% nem com 20 minutos. A água quente pode ser recomendada para o tratamento quarentenário de ovos, larvas de o/2o e de 3o ínstares de C. capitata em laranja variedade ‘Valência’, na temperatura de 46 °C, por cerca de 84,8 minutos. Palavras-chave adicionais: mosca-das-frutas; citros; tratamento quarentenário; tratamento térmico.

Publicado

02/06/2009

Edição

Seção

Melhoramento Genético Animal - Animal Breeding