Germinação, desenvolvimento de plântulas e teste de tetrazólio em <em>Poecilanthe parviflora</em> Bentham (Fabaceae - Faboideae)

Autores

  • Jane Valadares xxx
  • Rinaldo César De Paula
  • Fabíola Vitti Môro

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2009v37n1p39%20-%2047

Resumo

Poecilanthe parviflora é uma planta arbórea com potencial para uso em áreas degradadas e no pai­sagismo. Este trabalho teve por objetivos caracterizar biometricamente as sementes; descrever e ilustrar os aspectos morfológicos de sementes e plântulas, e adaptar metodologia para a condução do teste de tetrazólio para as sementes de Poecilanthe parviflora. Nas análises biométricas, foram avali­ados comprimento, largura, espessura e peso em 100 sementes; e para a descrição do processo germinativo e morfologia de sementes e plântulas, foram semeadas quatro repetições de seis se­mentes em “gerbox”, contendo areia. Para o teste de tetrazólio, as sementes foram condicionadas por 42 horas e 25ºC, e após a retirada do tegumento, os embriões foram imersos em diferentes concen­trações (0,05; 0,075 e 0,1%) da solução do sal de tetrazólio, a 35ºC, durante uma, duas e três horas, utilizando-se de duas repetições de 10 embriões por tratamento. A eficiência das várias condições empregadas para o teste de tetrazólio foi avaliada comparando-se os resultados destas com o teste de germinação. As sementes apresentaram, em média, 15,8 mm de comprimento, 14,13 mm de lar­gura e 3,19 mm de espessura; o peso de 1.000 sementes foi de 416,82 g, correspondendo a 2.399sementes/kg. A semente é exalbuminosa, a germinação é hipógea e a plântula criptocotiledo­nar. O teste de tetrazólio foi eficiente na avaliação da viabilidade das sementes, quando foi utilizada a con­centração de 0,1%, por duas horas, a 35ºC no escuro.

 

Palavras-chave adicionais: sementes florestais; germinação; viabilidade da semente.

Edição

Seção

Melhoramento Genético Animal - Animal Breeding