Produção de mudas de catingueira-verdadeira (Caesalpinia pyramidalis Tul.) em função de substratos e luminosidades

Autores

  • Bárbara França Dantas Embrapa SemiÁrido
  • Armando Pereira Lopes Embrapa Semi-Árido
  • Fabrício Francisco Santos da Silva UFPB
  • Patrício Ferreira Batista UFERSA
  • Mayara Milena Menezes da Luz Pires UNEB
  • Carlos Alberto Aragão UNEB

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2011v39n1/2p34%20-%2043

Palavras-chave:

árvore, propagação, forrageira, sombreamento, caatinga

Resumo

A catingueira-verdadeira (Caesalpinia pyramidalis Tul.) é uma espécie nativa da caatinga dotada de resistência à seca e de potencial econômico. Objetivou-se avaliar o efeito de substratos e de níveis de luminosidade na emergência, e crescimento inicial de plântulas de catingueira-verdadeira. As sementes foram semeadas em recipientes preenchidos com solo, areia e esterco, em diferentes combinações, e substrato comercial. Os recipientes foram mantidos sob quatro condições de luminosidade: 100; 70; 50 e 25%. Foram avaliados porcentagem de emergência de plântulas; índice de velocidade de emergência, tempo médio de emergência, coeficiente de velocidade de emergência, massas fresca e seca totais, comprimento total, área foliar, número de folhas e índice relativo de clorofila (IRC). As plântulas apresentaram maior porcentagem e velocidade de emergência e maior IRC quando semeadas em solo+areia+esterco e mantidas a céu aberto. Os substratos com apenas solo e com solo e areia, em alternativa ao substrato comercial, induziram maior crescimento inicial das plântulas. Conclui-se que a utilização de telados de baixo sombreamento e substratos com apenas solo e com solo e areia favorece a obtenção de mudas de catingueira-verdadeira.

Biografia do Autor

Bárbara França Dantas, Embrapa SemiÁrido

Pesquisadora da Embrapa Semi-Árido da área de tecnologia e fisiologia de sementes e mudas.

Responsável pelo Laboratório de Análise de Sementes da Embrapa Semi-Árido-LASESA

Prof. Colaboradora Mestrado em Horticultura Irrigada, disciplina Produção, Tecnologia e Fisiologa de Sementes e Mudas de Espécies Hortícolas.

Área de conhecimento: Tecnologia e Fisiologia de Sementes e Mudas

Armando Pereira Lopes, Embrapa Semi-Árido

Biólogo, Bolsista Desenvolvimento Tecnológico Industrial- CNPq, LASESA, Embrapa Semi-Árido. Petrolina-PE.

Área de conhecimento: Tecnologia e Fisiologia de Sementes e Mudas

Fabrício Francisco Santos da Silva, UFPB

Biólogo, Mestrando em Ciências Agrárias, Universidade Federal da Paraíba-UFPB, Areia-PB.

Área de conhecimento: Tecnologia e Fisiologia de Sementes e Mudas

Patrício Ferreira Batista, UFERSA

Agrônomo, Mestrando em Fitotecnia, Universidade Federal do SemiÁrido-UFERSA, Mossoró -RN.

Área de conhecimento: Fitotecnia

Mayara Milena Menezes da Luz Pires, UNEB

Mestranda em Horticultura Irrigada, Universidade do Estado da Bahia-UNEB, Campus III, Juazeiro - BA.

Área de conhecimento: Fitotecnia

Carlos Alberto Aragão, UNEB

Professor Adjunto, Departamento de Tecnologia e Ciências Sociais, UNEB, Campus III, Juazeiro - BA.

 

Publicado

16/11/2011

Edição

Seção

Fitotecnia - Crop Production