Efeito do fósforo em genótipos de arroz em solos de Cerrado

Autores

  • Rodrigo Ribeiro Fidelis Universidade Federal do Tocantins
  • Leandro Cardoso Pinto Universidade Federal do Tocantins
  • Manoel Mota Santos Universidade Federal do Tocantins
  • Amanda Macedo Faccirolli Universidade Federal do Tocantins
  • Diogo Ribeiro Brandão Universidade Federal do Tocantins
  • Gessiel Scheidt Universidade Federal do Tocantins

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2013v41n1p46-51

Palavras-chave:

Oryza sativa, estresse abiótico, estresse mineral.

Resumo

Objetivou-se com este trabalho verificar o efeito de baixo e alto níveis de fósforo em genótipos de arroz de terras altas em solos de Cerrado. Foram utilizadas sete cultivares de arroz (BRS-Caiapó, BRS-Bonança, BRS-Primavera, BRS-Sertaneja, Epagri-114, BRSMG-Curinga e BRSMG-Conai), cul­tivadas em dois ambientes distintos no sul do Tocantins. Simulando ambientes com baixo e alto níveis de fósforo, foram utilizadas as doses 20 e 120 kg ha-1 de P2O5 em delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições. Os caracteres avaliados foram produtividade de grãos, número de dias para florescimento, número de dias para maturação, acamamento, altura das plantas e massa de cem grãos. Os genótipos avaliados foram similares quanto à resposta ao fósforo aplicado. A culti­var BRS-Bonança apresentou maior rendimento de grãos nas condições do Cerrado. O ambiente de baixo fósforo proporcionou a mesma produtividade de grãos, massa de cem grãos, altura de planta e acamamento quando comparado ao ambiente de alto fósforo, sendo que, no ambiente com maior nível de fósforo, houve retardo no florescimento dos genótipos.


Publicado

02/07/2013

Edição

Seção

Solos e Nutrição de Plantas - Soils and Plant Nutrition