Parcelamento de fontes alternativas de nitrogênio no milho safrinha em sucessão à soja

Autores

  • Rogério Peres Soratto Faculdade de Ciências Agronômicas - UNESP
  • Tiago Aparecido Mingotti da Costa Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Adalton Mazetti Fernandes Faculdade de Ciências Agronômicas - UNESP
  • Magno Pereira Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Wilson Itamar Maruyama Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2012v40n2p179%20-%20188

Palavras-chave:

Zea mays, efeito do nitrogênio, época de aplicação, plantio direto

Resumo

Incrementos de produtividade da cultura do milho safrinha podem ser obtidos com a aplicação de nitrogênio, mesmo quando cultivado em sucessão à soja. Porém, existe necessidade de esclarecimentos quanto à melhor fonte nitrogenada e à forma de parcelamento para essa modalidade de cultivo. Com o objetivo de avaliar a influência de fontes e formas de parcelamento do N no milho safrinha, cultivado após soja no sistema plantio direto, conduziu-se o experimento em um Latossolo Vermelho distrófico, em Chapadão do Céu (GO). O delineamento experimental foi o em blocos casualizados, num esquema fatorial 3x5+1, com quatro repetições. Foram estudadas três fontes (ureia, ureia extrusada com produtos amiláceos (Amireia® 180S) e sulfonitrato de amônio com inibidor de nitrificação (Entec® 26)), cinco formas de parcelamento (90-0; 60-30; 45-45; 30-60 e 0-90 kg ha-1, aplicados, respectivamente, de forma complementar na semeadura e em cobertura) e uma testemunha (sem N complementar). Todos os tratamentos receberam 12 kg ha-1 mediante a formulação NPK aplicada na semeadura. As fontes e as formas de parcelamento não influenciaram o teor de N e S foliar, a altura de inserção da primeira espiga, a população final de plantas, o número de espigas por planta e o número de grãos por espiga. A aplicação de N, na forma de Entec®, em maiores doses em cobertura, proporcionou maior massa dos grãos. Independentemente do parcelamento, a aplicação de 90 kg ha-1 de N, apenas na forma de Entec®, aumentou a produtividade de grãos em 9,6%, em relação à testemunha.

Arquivos adicionais

Publicado

22/11/2012

Edição

Seção

Fitotecnia - Crop Production