Análise quali-quantitativa da extração de DNA em Jatropha spp.

Autores

  • Aretha Arcenio Pimentel Corrêa Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Sandra Helena Unêda-Trevisoli Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Mariana Silva Rosa Pazeto Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Viviane Formice Vianna Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Antônio Orlando Di Mauro Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2013v41n2p235-245

Resumo

O objetivo do presente trabalho consiste na indicação de uma metodologia eficiente para extração de DNA de três espécies oleaginosas: Jatropha curcas, Jatropha gossypiifolia e Jatropha pohliana, para fins de utilização das mesmas em estudos moleculares. Para tanto, verificou-se a eficiência de métodos de extração de DNA, baseados no tampão CTAB para avaliação da concentração e pureza do DNA obtido, e também se estes seriam passíveis de amplificação via PCR. As metodologias utilizadas foram: DOYLE & DOYLE (1990), DArT - Diversity Arrays Technology (DArT, 2012), ZHANG & STEWART (2000) e ELIAS et al. (2004) com lise das folhas em três temperaturas (30, 35 e 60 ºC). Os dados de quantificação foram analisados pelo teste de Tukey (5%), onde foram observados diferentes resultados entre as espécies. As melhores metodologias foram DArT (2012) para J. curcas; ZHANG & STEWART (2000) para J. gossypiifolia e ELIAS et al. (2004) com lise a 30 ºC para J. pohliana, evidenciando a necessidade de uma metodologia adequada para cada uma das espécies estudadas. Para estes três métodos foi possível obter amplificação do DNA obtido.

Publicado

29/10/2013

Edição

Seção

Melhoramento Genético Vegetal - Plant Breeding