Melhoramento genético do gladíolo no IAC: novos cultivares ‘IAC Carmim’ e ‘IAC Paranapanema’

Autores

  • Antonio Fernando Caetano Tombolato
  • Jairo Lopes de Castro
  • Luiz Antonio Ferraz Matthes
  • José Marcos Leme

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2005v33n2p142%20-%20147

Resumo

O gladíolo, no Brasil, é uma cultura ornamental tradicional como flor de corte para o mercado interno e, mais recentemente, como produção de cormos, um importante produto para a exportação. O Instituto Agronômico desenvolve pesquisas com esta espécie desde os anos 60. Nos anos 70, foi selecionado o cultivar de flores purpúreas rajadas denominado ‘Itapetininga’, que, atualmente, não tem valor comercial. No final da década de 80, o programa de melhoramento foi recomeçado com dois objetivos: a seleção de novos cultivares tolerantes ou resistentes à ferrugem (Uromyces transversalis) e a pesquisa de novos produtos, ou seja, cultivares com diferentes cores, formas e desenhos. Neste trabalho, são apresentados dois novos cultivares: ‘IAC Carmim’ e ‘IAC Paranapanema’. Ambos são híbridos selecionados entre os materiais mantidos na antiga Estação Experimental de Capão Bonito. São plantas muito rústicas e vigorosas. Os bulbos têm sido distribuídos para os floricultores, principalmente da região oeste do Estado de São Paulo. Vinte e cinco outros híbridos pré-selecionados encontram-se em fase de multiplicação a campo. Nos próximos anos, será possível o lançamento de novos cultivares obtidos de cruzamentos controlados que têm mostrado boas qualidades e capazes de substituir os antigos cultivares.Palavras-chave adicionais: Gladiolus X grandiflorus Hort.; Gladiolus aff. dalenii; variedade; bulbosa ornamental; cormo.

Publicado

16/04/2008

Edição

Seção

Zootecnia - Animal Production