Interrupção da irrigação e maturação dos frutos de café Conilon

Autores

  • Joabe Martins de Souza Universidade Federal do Espirito Santo - Campus Centro Universitário Norte do Espirito Santo
  • Robson Bonomo Universidade Federal do Espirito Santo - Campus Centro Universitário Norte do Espirito Santo
  • Marcelo Magiero Universidade Federal do Espirito Santo - Campus Centro Universitário Norte do Espirito Santo
  • Diego Zancanella Bonomo Universidade Federal do Espirito Santo - Campus Centro Universitário Norte do Espirito Santo

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n2p170-177

Palavras-chave:

manejo de irrigação, sincronização, florescimento, coffea canephora Pierre

Resumo

A sincronização do florescimento em cafeeiros tem sido associada com ciclos de déficit internos de água na planta, os quais quebrariam a dormência das gemas florais totalmente diferenciadas, levando ao florescimento após a aplicação da água via irrigação ou chuva, favorecendo maior unifor­midade de maturação dos frutos. Assim, este experimento teve por objetivo avaliar a influência da interrupção da irrigação na maturação de nove clones do cafeeiro Conilon ‘Vitória’ e do clone local ‘Bamburral’, nas condições edafoclimáticas de São Mateus - ES. Foi utilizado o delineamento experi­mental em blocos casualizados, com parcelas subdivididas, com três repetições, sendo duas parcelas (plantas manejadas com irrigação contínua e com interrupção da irrigação), e 10 subparcelas (clo­nes). Nas parcelas com interrupção, ocorreu a suspenção da irrigação por 60 dias (16-06-2009 a 15-08-2009). Na época da colheita, os frutos foram quantificados e classificados de acordo com o está­dio de maturação. O manejo da cultura com a aplicação da interrupção da irrigação possibilitou maior porcentagem de frutos maduros e menor porcentagem de frutos secos em relação ao irrigado conti­nuamente, não influenciando na porcentagem de frutos verdes. A maioria dos frutos maduros no ma­nejo com interrupção da irrigação apresentou acima de 80% de uniformidade na porcentagem média de maturação. Conclui-se que a interrupção da irrigação proporciona maiores uniformidade e por­centagem de frutos maduros na maioria dos clones estudados, e que o clone ‘Bamburral’ não foi influenciado pela aplicação da interrupção da irrigação e obteve a maior porcentagem média de matu­ração em comparação aos demais clones avaliados.

Biografia do Autor

Joabe Martins de Souza, Universidade Federal do Espirito Santo - Campus Centro Universitário Norte do Espirito Santo

Doutorando em Produção Vegetal UFES/CCA.

Robson Bonomo, Universidade Federal do Espirito Santo - Campus Centro Universitário Norte do Espirito Santo

Professor associado da Universidade Federal do Espírito Santo

Marcelo Magiero, Universidade Federal do Espirito Santo - Campus Centro Universitário Norte do Espirito Santo

Mestrando em Agricultura Tropical UFES/CEUNES. Bolsista de Mestrado da CAPES.

Diego Zancanella Bonomo, Universidade Federal do Espirito Santo - Campus Centro Universitário Norte do Espirito Santo

Mestre em Agricultura Tropical UFES/CEUNES. 

Arquivos adicionais

Publicado

02/06/2014

Edição

Seção

Fitotecnia - Crop Production