Vigor e produção de sementes de crambe tratadas com fungicida, inseticida e polímero

Autores

  • Eduardo José Ludwig Universidade Federal de Santa Maria Curso de agronomia
  • Ubirajara Russi Nunes Universidade Federal de santa Maria Departamento de Fitotecnia Prof. Adjunto
  • Liliane Marcia Mertz EMBRAPA Soja, Londrina, PR, Brasil Dr. Eng. Agr., pesquisadora
  • Juliano Reis da Silva Universidade Federal de Santa Maria Curso de agronomia
  • Silvia Cristina Paslauski Nunes Universidade Federal de Santa Maria Fitotecnia

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n3p271-277

Resumo

O objetivo do trabalho foi determinar a eficiência do tratamento químico de sementes de crambe com fungicida, inseticida e polímero na qualidade fisiológica e na produção de sementes. Sementes de crambe, cultivar FMS brilhante, foram submetidas aos seguintes tratamentos: T1 = Testemunha;      T2 = Fungicida (F); T3 = Inseticida (I); T4 = Polímero (P); T5 = F + I; T6 = F + I + P; T7 = F + P, e     T8 = I + P. O fungicida utilizado foi o Derosal 500 SC (i.a. Carbendazim), na dose de 3,0 ml kg-1 de sementes, e inseticida Cruiser 350 FS (i.a. Tiametoxam), na dose de 1,0 mL kg-1 de sementes. O polímero utili­zado foi o Laborsan (resina sólida), na dose de 0,6 mL kg-1 de sementes. Após o tratamento, as sementes foram avaliadas em laboratório pelos testes de germinação, comprimento da raiz e parte aérea e massa seca de plântulas. Em solo, determinaram-se a emergência, o comprimento da raiz e da parte aérea e a massa seca de plântulas. Em vasos, foram avaliados a altura das plantas, o número de racemos por planta, o número de frutos por planta, o número de frutos por racemos e a produção de sementes. O tratamento de sementes de crambe com fungicida e/ou inseticida, associado a polímero, afetou o vigor em testes de laboratório e, em condições de solo, não afeta a germina­ção, a emergência de plântulas e a produção de sementes de crambe.

Biografia do Autor

Eduardo José Ludwig, Universidade Federal de Santa Maria Curso de agronomia

Universidade Federal de Santa Maria

Graduando em agronomia

 

 

Ubirajara Russi Nunes, Universidade Federal de santa Maria Departamento de Fitotecnia Prof. Adjunto

Universidade Federal de Santa Maria

Curso de agronomia

Departamento de Fitotecnia

Produção e Tecnologia de sementes

Liliane Marcia Mertz, EMBRAPA Soja, Londrina, PR, Brasil Dr. Eng. Agr., pesquisadora

EMBRAPA Soja, Londrina, PR, Brasil

Juliano Reis da Silva, Universidade Federal de Santa Maria Curso de agronomia

Universidade Federal de Santa Maria

Graduando em agronomia

 

Silvia Cristina Paslauski Nunes, Universidade Federal de Santa Maria Fitotecnia

Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda em agronomia

Publicado

10/09/2014

Edição

Seção

Produção e Tecnologia de Sementes - Seed Science and Technology