Perdas quantitativas de amendoim nos períodos do dia em sistemas mecanizados de colheita

Autores

  • Fábio Alexandre Cavichioli
  • Cristiano Zerbato
  • Rafael Scabello Bertonha
  • Rouverson Pereira da Silva
  • Vicente Filho Alves Silva

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n3p211-215

Resumo

A operação de arranquio mecanizado de amendoim é considerada crítica em função de fatores relacionados à cultura e fatores intrínsecos às máquinas utilizadas, que podem acarretar elevados níveis de perdas.  As perdas acontecem no arranquio e no recolhimento do amendoim. Objetivou-se quantificar as perdas em dois períodos de realização da colheita (manhã e tarde), para conjuntos mecanizados. A colheita foi realizada na safra de 2009/2010, em área da fazenda Contendas, localizada no município de Taquaritinga-SP. Foram avaliadas as perdas visíveis, invisíveis e totais no arranquio, o teor de água das vagens no momento do arranquio e do recolhimento, bem como as perdas visíveis totais no recolhimento. Os conjuntos mecanizados utilizados no arranquio e os períodos de colheita não interferiram nas perdas, e o teor de água das vagens não apresentou diferença para o arranquio realizado pela manhã e à tarde. Não foram observadas diferenças entre os tratamentos no recolhimento.

Publicado

10/09/2014

Como Citar

CAVICHIOLI, F. A.; ZERBATO, C.; BERTONHA, R. S.; DA SILVA, R. P.; SILVA, V. F. A. Perdas quantitativas de amendoim nos períodos do dia em sistemas mecanizados de colheita. Científica, Dracena, SP, v. 42, n. 3, p. 211–215, 2014. DOI: 10.15361/1984-5529.2014v42n3p211-215. Disponível em: https://cientifica.dracena.unesp.br/index.php/cientifica/article/view/494. Acesso em: 8 fev. 2023.

Edição

Seção

Engenharia Rural/Agrícola - Rural/Agricultural Engineering

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)