Quality of stored grain of corn in different conditions

Autores

  • Paulo Carteri Coradi Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus de Chapadão do Sul (CPCS)
  • José Benício Paes Chaves Universidade Federal de Viçosa (UFV), Departamento de Tecnologia de Alimentos (DTA)
  • Adílio Flauzino de Lacerda Filho Universidade Federal de Viçosa (UFV), Departamento de Engenharia Agrícola (DEA)
  • Thalita Oliveira Mota Universidade Federal de Viçosa (UFV), Departamento de Engenharia Agrícola (DEA)

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n2p118-133

Resumo

The growing necessity to improve the quality of agricultural and processed products encourages the development of research aiming to obtain new methods and techniques that enable the maintenance and preservation of products in storage. The objective of this study was to evaluate the quality of deteriorated corn cornels in two different storage conditions, low temperatures and high relative humidity (10% and 900C) and high temperatures and low relative humidity (30% and 400C), featuring two producing regions of Brazil, a part of Brazilian Cerrado and a large part of southern Brazil, during winter. The experiment was conducted at The Federal University of Viçosa, MG, Brazil. The storage of corn cornels in warm and dry air reduce the risk of incidence of fungi, regardless the initial quality of the stored product. The incidence of insect was greater at the same condition. Regardless of storage condition, bacterial growth was directly related to the quality of the initial product and the storage period. Over time increased the risk of aflatoxins and fumonisins, reaching levels above acceptable limits for the quality of silage corn. Concluding, to maintain the nutritional quality of corn cornels under conditions of 300C and 40% of RH is recommended to store them at most for six months, whereas in regions with average temperatures of 10°C and 90% RH it is not recommended to store corn cornels for a period greater than three months.

 

Biografia do Autor

Paulo Carteri Coradi, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus de Chapadão do Sul (CPCS)

Possui Graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Pelotas (2005), Mestrado em Engenharia Agrícola (Processamento de Produtos Agrícolas) pela Universidade Federal de Lavras (2006) e Doutorado em Engenharia Agrícola (Engenharia de Processamento de Produtos Agrícolas) pela Universidade Federal de Viçosa (2010) com período Sanduíche (SWE-CNPq) de 10 meses (2009-2010) na Kansas State University (Department of Grain Science & Industry), Kansas, EUA. Está inscrito no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Minas Gerais (CREA-MG91048D). Foi bolsista PET, CAPES e CNPq durante a graduação e pós-graduação. Têm habilitação pelo RABQSA International: Personnel and Training Certification como auditor líder do Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9000. É também habilitado pelo CENTREINAR como auditor técnico de unidades armazenadoras de grãos e pelo MAPA como classificador oficial de produtos de origem vegetal: habilitação em milho, soja e sorgo. Atualmente é Professor Adjunto II na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus de Chapadão do Sul (CPCS). Têm experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Engenharia de Processamento de Produtos Agrícolas, atuando principalmente nos seguintes temas: Processamento, Secagem, Armazenamento e Qualidade de Produtos Agrícolas.

José Benício Paes Chaves, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Departamento de Tecnologia de Alimentos (DTA)

Graduado em Agronomia (1976) e Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos (1979) pela Universidade Federal de Viçosa e, doutorado (Ph.D.) em Food Science - University of Maryland System (1988). É professor Titular da Universidade Federal de Viçosa desde 1991. Tem experiência na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos, com ênfase em Avaliação e Controle da Qualidade de Alimentos, atuando principalmente nos seguintes temas: tecnologia de alimentos, produtos vegetais, análise sensorial, sistemas da qualidade, gestão da segurança de alimentos, gestão e certificação da qualidade e planejamento, delineamento e análise de experimentos com materiais alimentares. 

Adílio Flauzino de Lacerda Filho, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Departamento de Engenharia Agrícola (DEA)

Possui graduação em Engenharia Agronômica (diversificação em Engenharia Agrícola) pela Universidade Federal de Viçosa (1976), mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (1986) e doutorado em Agronomia (Energia na Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1998). Atualmente é professor Associado IV da Universidade Federal de Viçosa. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Pré-Processamento de Produtos Agrícolas, Esfriamento Artificial de Grãos, Racionalização do Uso de Energia em Procesos Agrícolas, atuando principalmente nos seguintes temas: secagem, armazenagem, energia e conservação de grãos.

Thalita Oliveira Mota, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Departamento de Engenharia Agrícola (DEA)

Estudante de Graduação em Engenharia Agrícola.

Publicado

02/06/2014

Edição

Seção

Engenharia Rural/Agrícola - Rural/Agricultural Engineering