Sowing density on oat production physiological parameters

Autores

  • José Antonio Gonzalez da Silva Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul
  • Rubia Diana Mantai Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul
  • Antonio Costa de Oliveira Universidade Federal de Pelotas
  • Cristiano Fontaniva Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul
  • Emilio Ghisleni Arenhardt Universidade Federal de Pelotas
  • Micheli Brasil Olegário Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul
  • Vinícius de Lima Sberse Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2015v43n3p226-235

Resumo

The optimal sowing density is dependent on the genotype and environmental conditions. This study aims at defining the optimal sowing density that maximizes the hay and grains production for the current short-cycle and reduced height biotype of white oat cultivated on a commercial scale, thus justifying the need for using seeds density superior to the recommended. Experiments were conducted in a complete randomized block design with four replications in a 2 x 4 factorial arrangement to cultivate (URS Taura and Brisasul) and sowing density (100, 300, 600 and 900 seeds m-2) in the corn/oat and soybean/oat succession system. Regardless of the genotypes tested and cropping system, the current standard biotype of cultivated white oat (short cycle and reduced height) evidence in the physiological characters of production sowing density adjusted around 500 seeds m-2. The results obtained show that the recommendation proposal of seeds superior to the technical indications of oats in the mean cultivated biotype a part from increment the grains production can bring benefits to qualify the crop management.

Biografia do Autor

José Antonio Gonzalez da Silva, Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul

Professor do Departamento de Estudos Agrários, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul/UNIJUÍ, Rua do Comércio, 3000, Bairro Universitário, CEP 98700-000 Ijuí, RS. jagsfaem@yahoo.com.br

Rubia Diana Mantai, Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Modelagem Matemática, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Rua do Comércio, 3000, Bairro Universitário, CEP 98700-000 Ijuí, RS.

Antonio Costa de Oliveira, Universidade Federal de Pelotas

Professor do Departamento de Fitotecnia, Faculdade de Agronomia “Eliseu Maciel”, Universidade Federal de Pelotas, CEP:96001-970, Capão do Leão, RS.

Cristiano Fontaniva, Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul

Bolsista de Iniciação Científica/CNPq do Curso de Agronomia da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul/UNIJUÍ, Rua do Comércio, 3000, Bairro Universitário, CEP 98700-000 Ijuí, RS.

Emilio Ghisleni Arenhardt, Universidade Federal de Pelotas

Autor para correspondência. Mestrando do Programa de Pós-graduação em Agronomia, Centro de Genômica e Fitomelhoramento, Universidade Federal de Pelotas, CEP 96001-970, Pelotas, RS.

Micheli Brasil Olegário, Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul

Bolsista de Iniciação Científica/CNPq do Curso de Agronomia da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul/UNIJUÍ, Rua do Comércio, 3000, Bairro Universitário, CEP 98700-000 Ijuí, RS.

Vinícius de Lima Sberse, Universidade Regional do Noroeste do estado do Rio Grande do Sul

Bolsista de Iniciação Científica/CNPq do Curso de Agronomia da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul/UNIJUÍ, Rua do Comércio, 3000, Bairro Universitário, CEP 98700-000 Ijuí, RS.

Arquivos adicionais

Publicado

08/07/2015

Edição

Seção

Fitotecnia - Crop Production