Aspectos tecnológicos de sorgo-sacarino submetido à aplicação de maturadores químicos

Autores

  • Ronaldo da Silva Viana FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E TECNOLÓGICAS
  • André May Embrapa Jaguariúna
  • Gustavo Pavan Mateus APTA- Andradina - Sp
  • Arthur Duarte Rodrigues Neto FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E TECNOLÓGICAS
  • Paulo Renato Matos Lopes FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E TECNOLÓGICAS

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2017v45n3p204-213

Resumo

O sorgo-sacarino apresentou um crescimento de interesse para cultivo em área de reformas de canaviais associadas a usinas sucroenergéticas em função da possibilidade de produção de etanol, na abertura da safra da cana-de-açúcar, sendo seu ponto de colheita normalmente identificado pela fenologia da planta, após o florescimento da cultura. A antecipação do momento de colheita e a possibilidade de acúmulo de açúcares no colmo, com a utilização de maturadores químicos, podem ser uma alternativa importante para a cultura, como ocorre com a cana-de-açúcar. Este trabalho teve como objetivo avaliar os aspectos tecnoló­gicos do sorgo-sacarino quando aplicados diferentes maturadores químicos. O delineamento experimental utilizado foi o em blocos casualizados, em esquema fatorial 2x5, com 4 repetições, constituídos por: duas cultivares de sorgo-sacarino (BRS 508 e BRS 509) e cinco tratamentos com maturadores químicos             (C – controle – ausência de maturador; E – etefon (0,7 L ha-1); ET – etiltrinexapac (0,8 L ha-1); G – glifosato (0,4 L ha-1) e S – sulfometurom metil (0,02 kg ha-1). Por ocasião da colheita do sorgo-sacarino, foram realizadas avaliações de sólidos solúveis (Brix do caldo, em %); teor de sacarose no caldo – Pol (%); Açúcares reduto­res (%); Açúcares redutores totais (%); Fibra (%); Pureza (%), e Açúcar total recuperável (kg t-1). A cultivar BRS 508 apresentou aumento na qualidade tecnológica quando utilizado sulfometurom metil (0,02 kg ha-1), enquanto para a cultivar BRS 509, os ganhos ocorreram quando foi aplicado o etiltrinexapac (0,8 L ha-1) como maturador.

Biografia do Autor

Ronaldo da Silva Viana, FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E TECNOLÓGICAS

Graduado em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal do Espírito Santo -(UFES) (2005) Campus Alegre - ES. Concluiu mestrado em agronomia, Área de concentração em produção vegetal pela Universidade Estadual Paulista - Júlio de Mesquita Filho -(UNESP) (2007) Campus Jaboticabal - SP, doutorado em Agricultura pela Universidade Estadual Paulista - Júlio de Mesquita Filho - (UNESP)(2011) Campus Botucatu -SP. Pós - Doutorado em agronomia pela Universidade Estadual Paulista - Júlio de Mesquita Filho - (UNESP)(2013) campus Ilha solteira- SP. Docente da Faculdade de tecnologia de Araçatuba (FATEC) Campus Araçatuba -SP de 2008 à 2015. Coordenador do curso de agronomia da Fundação Educacional de Penápolis -SP de janeiro de 2015 à julho de 2015. Atualmente é Professor da Universidade Estadual Paulista - Júlio de Mesquita Filho -(UNESP) Campus Dracena nas áreas de Agroenergia, Tecnologia do açúcar e alcool e Biocombustíveis.Tem experiência em diversas na área da Agronomia e Biocombustíveis com ênfase na Tecnologia do açúcar e processos fermentativos, produção de cana de açúcar, produção de sorgo sacarino atuando principalmente nos seguintes temas: Morfofisiologia vegetal, Fisiologia vegetal, Fisiologia da maturação, Germinação de especies cultivadas, Estresse biótico e abiótico de plantas cultivada

André May, Embrapa Jaguariúna

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (1997), mestrado em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001) e doutorado em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2006). Tem experiência na área de Agronomia/Fitotecnia, com ênfase em Manejo e Tratos Culturais de plantas. Atualmente, é pesquisador A da Embrapa Milho e Sorgo na área de sistemas de produção.

Gustavo Pavan Mateus, APTA- Andradina - Sp

Possui Graduação em Agronomia pela Universidade Estadual de Maringá, Mestrado e Doutorado em Agronomia pela Unesp campus de Botucatu. Exerce a função de pesquisador científico nível V da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios/Andradina. Tem atuado na área de Agronomia, com ênfase em Manejo e Tratos Culturais, principalmente nos temas: plantio direto, Integração Lavoura-Pecuária-Floresta e rotação de culturas.

Arthur Duarte Rodrigues Neto, FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E TECNOLÓGICAS

Cursando Engenharia Agronômica na UNESP-FCAT Dracena. Atua em projetos na área de fitotecnia e fisiologia vegetal principalmente de culturas destinadas à produção de energia.

 

Paulo Renato Matos Lopes, FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E TECNOLÓGICAS

Possui graduação em Bacharelado e Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista, sendo bolsista por dois anos de iniciação científica do PRH-05 (MCT/FINEP/ANP/UNESP-Rio Claro). Pelo PRH-05, concluiu o aperfeiçoamento em Ciências Ambientais Aplicadas ao Setor de Petróleo & Gás. Especialista em Gerenciamento Ambiental pela Universidade de São Paulo (ESALQ/USP). Mestre e Doutor em Ciências Biológicas - Microbiologia Aplicada (UNESP, Câmpus de Rio Claro), sendo bolsista CAPES no mestrado e bolsista FAPESP no doutorado. Atualmente, é docente da FCAT/UNESP - Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas de Dracena. Tem experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Microbiologia Aplicada e Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: biorremediação de ambientes contaminados, processos fermentativos, manejo de resíduos e tratamento de águas e efluentes.

Publicado

06/07/2017

Edição

Seção

Ciência e Tecnologia de Alimentos - Food Science and Tecnology