Compactação do solo no desenvolvimento e na produção de cultivares de soja

Autores

  • José Frederico Centurion .
  • Maria Aparecida Pessoa da Cruz Centurion .
  • Amauri Nelson Beutler .
  • Leandro Aurélio Rossini .
  • Onã da Silva Freddi .
  • Eurico Lucas de Souza Neto .

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2006v34n2p203%20-%20209

Resumo

A qualidade física do solo é imprescindível para o desenvolvimento adequado das plantas. Assim, este estudo teve o objetivo de avaliar o efeito da compactação do solo no desenvolvimento de duas cultivares de soja (IAC – 8 e MG/BR 46 (Conquista)). Utilizaram-se amostras de Latossolo Vermelho coletadas na camada de 0-0,20 m e passadas em peneira de 0,004 m. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4 x 2, com quatro repetições. O solo foi compactado em camadas de 0,03 m, em vasos de 0,20 m de altura e 0,25 m de diâmetro (9,82 L), formando quatro níveis de compactação que foram caracterizados pela densidade do solo de 0,93; ,25; ,37 e ,60 Mg m-3. Em novembro de 2003, foi semeada a soja e após 0 dias, desbastada, deixando duas plantas por vaso, que foram irrigadas diariamente para atingir 80% da capacidade de campo (conteúdo de água na tensão de 0,006 MPa). A densidade do solo de até ,6 Mg m-3 não causou decréscimo significativo na produção das cultivares de soja, as quais apresentaram tolerância equivalente à compactação.Palavras-chave adicionais: Glycine max; densidade do solo; porosidade do solo; umidade do solo.

Edição

Seção

Zootecnia - Animal Production