Capacidade de uso da terra e abatimento de erosão hídrica em propriedades agrícolas do sul do Rio Grande do Sul

Autores

  • Margareth Andrade dos Reis Tavares Universidade Federal de Pelotas
  • Maria Cândida Moitinho Nunes Universidade Federal de Pelotas
  • Vitor Emanuel Quevedo Tavares Universidade Federal de Pelotas
  • Flavia Fontana Fernandes Universidade Federal de Pelotas
  • Letícia Penno de Sousa Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária-EMBRAPA

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2020v48n4p374-385

Resumo

Sistemas de uso e manejo do solo adotados de forma inadequada podem comprometer a qualidade dos solos e dos corpos hídricos. O objetivo desse estudo foi determinar a capacidade de uso da terra e o percentual de aba­timento de erosão, decorrentes do uso e manejo adequados do solo para a bacia hidrográfica do arroio Epami­nondas. Foram selecionadas três propriedades rurais da bacia, subdivididas em glebas homogêneas. Foi reali­zado o levantamento dos fatores limitantes de cada gleba, bem como análises físicas e químicas dos solos. Foi classificada a capacidade de uso da terra, identificados os conflitos de uso e calculado o percentual de abati­mento da erosão. A profundidade efetiva e o gradiente textural foram os principais fatores limitantes observados, responsáveis pela classificação de 87,69% da área na classe IV de capacidade de uso da terra. Da área agrícola em estudo, 53,42% estão sobreutilizadas, ou seja, em conflito de uso. A implantação de um projeto de paga­mento por serviços ambientais, com mudança no uso da terra e substituição do cultivo convencional por sistemas conservacionistas, pode proporcionar redução de 59,74% da erosão nessas áreas agrícolas. Nas áreas atual­mente com hortaliças e pousio, a adoção da prática de plantio direto em hortaliças, com cultivo em nível e em rotação com plantas de cobertura, além da recuperação das pastagens, pode promover abatimento da erosão em, aproximadamente, 51%.

Biografia do Autor

Margareth Andrade dos Reis Tavares, Universidade Federal de Pelotas

MSc. Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (FAEM/UFPEL), PPG Manejo e conservação solo e da água

 

Maria Cândida Moitinho Nunes, Universidade Federal de Pelotas

Prof. Adjunto, Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (FAEM/UFPEL), Departamento de Solos. PPG Manejo e conservação solo e da água

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-5446-2855

Vitor Emanuel Quevedo Tavares, Universidade Federal de Pelotas

Prof. Titular. Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (FAEM/UFPEL), Departamento de Engenharia Rural. PPG Manejo e conservação solo e da água

Flavia Fontana Fernandes, Universidade Federal de Pelotas

Prof. Associado, Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (FAEM/UFPEL), Departamento de Solos

Letícia Penno de Sousa, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária-EMBRAPA

Pesquisadora - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária-EMBRAPA Clima Temperado, Pelotas-RS

Publicado

22/12/2020

Edição

Seção

Solos e Nutrição de Plantas - Soils and Plant Nutrition