Preferência alimentar de Anticarsia gemmatalis Hübner (Lepidoptera: Noctuidae) por cultivares de soja

Autores

  • Aline Aparecida Franco Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Esalq/USP
  • Maíra dos Santos Queiroz Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Amanda Ribeiro Peres Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" , campus de Ilha Solteira.
  • Matheus Elache Rosa Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" , campus de Ilha Solteira.
  • Alcebíades Ribeiro Campos Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" , campus de Ilha Solteira.
  • Zeneide Ribeiro Campos Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Campus de Ilha Solteira

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n1p32-38

Resumo

A soja é um produto agrícola relevante para a economia do Brasil, mas sua produtividade é reduzida pelo ataque da lagarta Anticarsia gemmatalis. No controle, é necessário consolidar pesquisas com alternativas não químicas, destacando-se a resistência de plantas, importante ferramenta do MIP. Para tanto, este trabalho avaliou a atratividade e a não preferência alimentar, com e sem chance de escolha, de lagartas de primeiro instar A. gemmatalis por folhas de diferentes cultivares de soja. Os testes foram realizados em câmara climatizada a 27± 1°C, UR de 70±10% e fotofase de 14 horas. Foram utilizadas as cultivares BRS 284 (convencional), Anta 82 RR, P98Y77 RR, NA 7321 RR, BRS Valiosa RR, SYN 1182 RR, M-SOY 8527 RR, SYN 9070 RR, AS 8197 RR e M-SOY 8867 RR. Utilizou-se do sistema de arena para a realização dos testes em placas de Petri, com dez repetições. Em cada repetição, foram liberadas quinze lagartas de primeiro instar de A. gemmatalis. Para avaliar a atratividade, contou-se o número de lagartas atraídas em cada cultivar ao longo de 60 minutos após a liberação, enquanto a não preferência para alimentação foi avaliada após 24 horas. Avaliou-se também o consumo foliar das lagartas nas diferentes cultivares, um dia após a liberação dos insetos, utilizando-se do Software de análise foliar AFSoft® v1.1. Os resultados demonstraram que as cultivares de soja P8Y77RR, M-SOY8867RR apresentaram menor atratividade, não preferência para alimentação e consumo foliar por lagartas de A. gemmatalis, em teste com chance de escolha. Em teste sem chance de escolha, as cultivares, SYN 9070 RR e SYN 1182 RR foram menos preferidas e consumidas por lagartas de A. gemmatalis, e as cultivares de soja P8Y77RR, M-SOY8867RR, SYN 9070 RR e SYN 1182 RR possuem resistência do tipo não preferência à lagarta de  A. gemmatalis.

Biografia do Autor

Aline Aparecida Franco, Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Esalq/USP

Graduada em Engenharia Agronomica em 2010 pela Universidade do Estado de Minas Gerais, desenvolvendo durante a graduação projeto de pesquisa na área de entomologia agrícola, Mestre em Agronomia pela Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" , trabalhando em projeto na área d eentomologia agrícola, avaliando ressitência de cultivares de soja a lagarta da soja Anticarsia gemmatalis. E atualmente doutoranda no departamento de Entomologia da Esalq/USP, trabalhando com seletividade de agroquímicos utilizados na cultura de citrus ao ácaro Euseius concordis.

Maíra dos Santos Queiroz, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Bióloga pela Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul e Mestranda em Sistemas de Produção, enfase em entomologia agrícola Na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" , campus de Ilha Solteira.

Amanda Ribeiro Peres, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" , campus de Ilha Solteira.

Engenheira Agronoma pela Universidade Castelo Branco, Fernandopolis - SP, e Mestranda em Sistemas de Produção, enfase em Fitotecnia na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" , campus de Ilha Solteira.

Matheus Elache Rosa, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" , campus de Ilha Solteira.

Engenheiro Agronomo pela Unesp de Ilha Solteira, e atualmente Mestrando em Sistemas de Produção, enfase em Fitotecnia na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" , campus de Ilha Solteira.

Alcebíades Ribeiro Campos, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" , campus de Ilha Solteira.

Professor Dr. do Curso de Agronomia da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", ministrando disciplinas de entomologia na graduação e pós-graduação, além de ser diretor da Fzenda Experimental desta Universidade e orientar alunos na graduação e na pós-graduação também.

Zeneide Ribeiro Campos, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Campus de Ilha Solteira

Doutora em Produção vegetal na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" campus de Jaboticabal , trabalhando em pesquisas na área de netomologia, e atualmente trabalaha na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" campus de Ilha Solteira no departamento de Zootecnia.

Publicado

10/04/2014

Edição

Seção

Entomologia - Entomology