Propagação vegetativa de mangostãozeiro-amarelo pelo método de enxertia

Autores

  • Eduardo José de Almeida Unesp
  • Natanael de Jesus
  • Erivaldo José Scaloppi
  • Antonio Carlos Benassi
  • Antonio Baldo Geraldo Martins

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2008v36n1p68%20-%2071

Resumo

O mangostãozeiro amarelo (Garcinia xanthochymus Hook. f. ex Anders.) é uma planta arbórea originária da Ásia bem adaptada ao clima tropical. Este trabalho objetivou avaliar a possibilidade de propagação vegetativa dessa frutífera pelo processo de enxertia. Três métodos foram testados (enxertia de fenda esvaziada no topo, inglês simples e inglês complicado) e dois tipos de porta-enxerto (presença e ausência de folhas fotossinteticamente ativas no porta-enxerto). O experimento foi composto por 4 repetições, com 0 plantas por parcela e em esquema fatorial 3 x 2 (métodos de enxertia x tipos de porta-enxerto) e conduzido em delineamento inteiramente casualizado (DIC). A análise revelou que não houve diferença estatística entre os métodos de propagação, porém o procedimento de deixar dois pares de folhas no porta-enxerto se mostrou-se desfavorável ao pegamento da enxertia. Palavras-chave adicionais: fruta exótica, propagação, enxertia

Biografia do Autor

Eduardo José de Almeida, Unesp

Doutor em Agronomia, área de concentração Produção Vegetalpela Unesp/Facudade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Câmpus de Jaboticabal. Tese com assunto em nematologia.

Publicado

14/07/2009

Edição

Seção

Melhoramento Genético Animal - Animal Breeding