Fitomassa de plantas de cobertura sob diferentes sistemas de cultivo e sucessão de culturas em Selvíria - MS

Autores

  • Luis Eduardo Akiyoshi Sanches Suzuki
  • Marlene Cristina Alves
  • Luis Gustavo Akihiro Sanches Suzuki
  • Ricardo Antonio Ferreira Rodrigues

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2008v36n2p123%20-%20129

Resumo

O estudo objetivou verificar o potencial de rendimento de fitomassa de diferentes plantas de cobertura na região do cerrado. Foi conduzido na Fazenda Experimental da Unesp, em Selvíria, MS. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados, no esquema em faixas com parcelas subsubdivididas, sendo: as parcelas compostas pelas plantas de coberturas (mucuna-preta, milheto, crotalária, guandu e pousio); os sistemas de semeadura direta e convencional, sendo as subparcelas, e as culturas do milho, soja e algodão, as subsubparcelas. O sistema de cultivo, com os referidos tratamentos, foi implantado em 1997, utilizando as culturas do milho, soja e algodão, no verão, e o feijão irrigado no inverno. No cultivo das plantas de cobertura, na primavera/verão, obtiveram-se maiores rendimentos de fitomassa do milheto, intermediários para a crotalária e pousio, e para mucuna-preta e o guandu, os menores. O milheto foi a planta de cobertura com maior potencial de rendimento de fitomassa seca. Os sistemas de cultivo não influenciaram no rendimento de fitomassa seca das plantas de cobertura. Somente o rendimento de fitomassa do milheto foi influenciado pela sucessão de culturas.

Palavras-chave adicionais: sistema de semeadura direta; sistema convencional; sucessão de culturas; solos de Cerrado.

Edição

Seção

Melhoramento Genético Animal - Animal Breeding