Atributos físicos de um Latossolo degradado tratado com biossólido há cinco anos

Autores

  • Otton Garcia de Arruda
  • Marlene Cristina Alves Universidade Estadual Paulista, Ilha Solteira
  • Carolina dos Santos Batista Bonini
  • Débora de Cássia Marchini

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2013v41n1p73-81

Resumo

Neste trabalho, estudaram-se os efeitos do biossólido na recuperação das propriedades físicos de um Latossolo Vermelho degradado. A área está sendo cultivada há cinco anos com eucalipto (Corymbia citriodora Hook) e braquiária (Brachiaria decumbens), com delineamento experimental em blocos casualizados, com seis tratamentos e quatro repetições, sendo estes: testemunha; adubação mineral; 30 Mg ha-1 e 60 Mg ha-1 de lodo de esgoto; solo exposto e vegetação natural de Cerrado. Foi realizada a caracterização física do solo nas profundidades de 0-0,05; 0,05-0,10; 0,10-0,20 e       0,20-0,40 m e analisadas a macroporosidade, a microporosidade, a porosidade total e a densidade do solo. Na planta de eucalipto, foram avaliados o estande, a altura média de plantas e o diâmetro à altura do peito. Pode-se concluir que o biossólido está recuperando os atributos físicos do solo; após cinco anos da aplicação do biossólido verificou-se, na camada de 0,00-0,05 m, que os valores de macroporosidade foram elevados de 0,08 m3 m-3 para 0,15 m3 m-3 e 0,16 m3 m-3, e os de densidade do solo, reduzidos de 1,70 kg dm-3 para 1,39 kg dm-3 e 1,42 kg dm-3 para as doses de 30 e 60 Mg ha-1, respectivamente, sendo os mais próximos da condição natural de Cerrado. O tratamento que proporcionou maior crescimento para as plantas de eucalipto foi o de 60 Mg ha-1 de biossólido.

 

Biografia do Autor

Marlene Cristina Alves, Universidade Estadual Paulista, Ilha Solteira

Professora Titular;  Departamento  de Fitossanidade, Engenharia Rural e Solos

Publicado

02/07/2013

Edição

Seção

Solos e Nutrição de Plantas - Soils and Plant Nutrition