Morfometria de sementes e desenvolvimento pós-seminal de Schizolobium amazonicum Huber (Ducke) - Fabaceae

Autores

  • Lúcia Filgueiras Braga Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Ady Correa da Costa Oliveira Unemat
  • Sousa Pereira Marcílio Unemat

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2013v41n1p01-10

Resumo

Schizolobium amazonicum é considerada uma das espécies nativas da Amazônia mais promissoras para utilização em reflorestamentos, devido principalmente ao seu rápido crescimento. Sua madeira tem aplicações em caixas, forros, pranchas entre outras, sendo também uma fonte promissora para papel. Considerando a importância econômica da espécie, este trabalho teve como objetivo realizar a caracterização morfométrica das sementes e o desenvolvimento pós-seminal. O estudo biométrico da semente foi realizado medindo o comprimento, a largura, a espessura e a massa. O desenvolvimento pós-seminal foi realizado em câmara BOD no substrato papel sob a temperatura de 30ºC, durante os primeiros 15 dias e em viveiro até 40 dias. Conclui-se que as sementes de Schizolobium amazonicum apresentam forma ovalada, padronização de tamanho, e variação de massa; a germinação é epígea e as plântulas são fanerocotiledonares. A protrusão da raiz primária ocorre com 24 horas de germinação e a planta aos 40 dias apresenta caracteres morfológicos que podem ser utilizados para a identificação da espécie.

Biografia do Autor

Lúcia Filgueiras Braga, Universidade do Estado de Mato Grosso

Departamento de Ciências Biológicas, Botânica

Publicado

02/07/2013

Edição

Seção

Botânica - Botany