Superação de dormência em sementes de Rheedia brasiliensis.

Autores

  • Ademir Kleber Morbeck Oliveira Universidade Anhanguera-Uniderp
  • Ana Carolina Nunes Universidade Anhanguera-Uniderp

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2013v41n2p246-250

Resumo

A espécie Rheedia brasiliensis, popularmente conhecida como bacupari, tem porte arbóreo, é considerada medicinal e sua madeira pode ser utilizada na construção civil. Objetivando-se verificar o processo mais eficaz para a quebra de dormência das sementes da espécie, avaliaram-se o teor de água, a percentagem de germinação, o índice de velocidade de germinação e o tempo médio de germinação das sementes, em oito tratamentos: sem pericarpo (na presença e ausência de luz), escarificação mecânica e em diferentes pHs (2; 3; 4 e 5) e testemunha (sementes com pericarpo), colocadas sobre papel germitest e acondicionadas em caixas plásticas mantidas em câmara de germinação (27 oC). As sementes da espécie apresentaram 49,6% de teor de água, e os tratamentos pH 4 e 5 foram os que permitiram maiores valores de germinação, com 64 e 61%, respectivamente. O maior índice de velocidade de germinação (0,51) pode ser considerado baixo, e o tempo médio de germinação, para todos os tratamentos, alto, demonstrando que as sementes da espécie necessitam de condições ambientais específicas para melhor germinação.

Biografia do Autor

Ademir Kleber Morbeck Oliveira, Universidade Anhanguera-Uniderp

Prof. Dr. Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional

Ana Carolina Nunes, Universidade Anhanguera-Uniderp

Discente, Curso de Ciências Biológicas, Universidade Anhanguera-Uniderp

Arquivos adicionais

Publicado

29/10/2013

Edição

Seção

Produção e Tecnologia de Sementes - Seed Science and Technology