Produção, exportação de nutrientes e composição mineral em dois genótipos de goiabeira

Autores

  • Ítalo Herbert Lucena Cavalcante
  • Lourival Ferreira Cavalcante
  • Francisco Assis de Oliveira
  • Fernanda Aspazia Rodriques de Araújo

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2005v33n2p165%20-%20171

Resumo

Foram avaliadas produção, exportação de macro e micronutrientes com a colheita e composição mineral de frutos dos genótipos de goiabeira (Psidium guajava L.) Crioula (Nativa) e Paluma, em quatro áreas distintas de um pomar do município de Remígio (PB), correlacionando os resultados com as exigências nutricionais humanas diárias. Foram estudadas, na área , oito plantas do genótipo Crioula em cultivo não irrigado com cinco anos; na área 2, 54 plantas de Paluma em cultivo não irrigado com três anos; na área 3, 40 plantas de Paluma com dois anos, em cultivo irrigado, e adubação com N e K via água de irrigação; na área 4, 20 plantas de Paluma com dois anos, em plantio não irrigado. As mudas da goiabeira Crioula foram oriundas de péfranco, germinadas diretamente no campo, e as do genótipo Paluma, geneticamente melhorado, por enraizamento de estacas. A massa média dos frutos e os rendimentos por planta e por área foram estatisticamente superiores para o genótipo Paluma. Independentemente do genótipo e da idade das plantas, a maior massa média foi obtida no pomar de Paluma, irrigado, com N e K aplicados ao solo juntamente com água de irrigação. Dentre os nutrientes, o K e o Fe foram os mais exportados com a colheita. A composição mineral dos frutos atende às exigências diárias nutricionais humanas em Cu, Fe, Mn e Zn, mas é deficiente em Ca, P, Mg, K e Na.Palavras-chave adicionais: Psidium guajava; alimentação humana.

Publicado

16/04/2008

Edição

Seção

Zootecnia - Animal Production