Efeito do uso prolongado de água residuária da suinocultura sobre as propriedades químicas e físicas de um Latossolo Vermelho-Amarelo

Autores

  • Bruno Grossi Costa Homen IF Sudeste MG, campus Rio Pomba
  • Onofre Barroca Almeida Neto IF SUDESTE MG, campus Rio Pomba
  • Marisa Senra Conde IF Sudeste MG, campus Rio Pomba
  • Mateus Diniz Silva IF Sudeste MG, campus Rio Pomba
  • Igor Machado Ferreira IF Sudeste MG, campus Rio Pomba

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n3p299-309

Resumo

A água residuária de suinocultura (ARS) possui características que possibilitam sua disposição no solo como fertilizante, sendo uma alternativa para o não acúmulo desse material na propriedade, além de proporcionar redução de custos com fertilizantes químicos sintéticos. Quando inadequada­mente usada, pode constituir-se em fator negativo de impacto ambiental. Diante disso, neste trabalho avaliamos o efeito da aplicação contínua de ARS nas propriedades químicas e físicas de um Latossolo Vermelho-Amarelo. O experimento foi realizado numa área plana, ocupada com pastagem de Brachiaria decumbens cv. Basilisk estabelecida há três anos. No total foram cinco ciclos da forrageira, onde a cada ciclo da forragem, foram aplicadas as doses 10, 20 e 30 m3 ha-1 de ARS, totalizando as doses de 50, 100 e 150 m3 ha-1 ano-1. A aplicação da ARS procedeu-se por 5 meses, determinando as propriedades químicas e físicas do solo em duas etapas, uma aos 82 dias de fertirrigação e outra aos 138 dias de fertirrigação. As amostras de solo foram retiradas, nas camadas de 0-0,20 e 0,2-0,40 m. A aplicação de ARS não conseguiu recuperar a fertilidade do solo e suprir a quantidade de nutrientes que a planta estava extraindo, provocando um decréscimo na concentração de fósforo, potássio, cálcio e magnésio, além da diminuição de outros parâmetros ligados a esses nutrientes, como soma de bases e saturação de bases. A água residuária de suinocultura contribui para o aumento da concentração de alumínio trocável e sódio e para a diminuição da matéria orgânica e da capacidade de troca catiônica do solo.

Biografia do Autor

Bruno Grossi Costa Homen, IF Sudeste MG, campus Rio Pomba

Onofre Barroca Almeida Neto, IF SUDESTE MG, campus Rio Pomba

Graduação (Licenciatura e Bacharelado) em Química pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2000). Mestrado em Agroquímica (Química Analítica e Ambiental - 2003) e Doutorado em Engenharia Agrícola (Recursos Hídricos e Ambientais - 2007) pela Universidade Federal de Viçosa. Professor do IF Sudeste de Minas Gerais, campus Rio Pomba, ministrando aulas de química para cursos de graduação e técnicos. Coordenou o curso de meio ambiente e atua como pesquisador na área de recusos hídricos e ambientais, engenharia de água e solo, manejo e tratamento de resíduos, análise de traços e química ambiental. 

Marisa Senra Conde, IF Sudeste MG, campus Rio Pomba

Mateus Diniz Silva, IF Sudeste MG, campus Rio Pomba

Igor Machado Ferreira, IF Sudeste MG, campus Rio Pomba

Arquivos adicionais

Publicado

10/09/2014

Edição

Seção

Solos e Nutrição de Plantas - Soils and Plant Nutrition