Resistência à penetração e agregação de um Latossolo Amarelo sob monocultivo de soja e de eucalipto no cerrado do Piauí

Autores

  • Thiago Vinicius Barros Ibiapina Universidade estadual de São Paulo - Doutorando em Ciências do Solo
  • Adeodato Ari Cavalcante Salviano Universidade Federal do Piauí- Professor Associado
  • Luís Alfredo Pinheiro Leal Nunes Universidade Federal do Piauí
  • Francisco Edinaldo Pinto Mousinho Colégio Técnico de Teresina, Professor
  • Milciades Gadelha de Lima Universidade Federal do Piauí- Professor Associado
  • Laércio Moura dos Santos Soares Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n4p411-418

Resumo

A qualidade física do solo é essencial para a sustentabilidade dos agroecossistemas, pois está rela­cionada com processos fundamentais para o desenvolvimento das culturas agrícolas. O objetivo deste trabalho foi investigar os impactos do manejo do solo sobre os atributos físicos de monocultivos de soja e eucalipto. Foram avaliados a resistência à penetração, agregação e carbono orgânico total em solos sob monocultivo de soja e eucalipto com 2 e 4 anos em relação a uma mata nativa de cerrado que foi usada como controle. Observaram-se maiores valores de resistência à penetração para sistemas com preparo convencional e cultivado com soja a partir da profundidade 0,10 m, alcan­çando o valor 6,0 MPa, classificado como muito alto. O cerrado nativo e o eucalipto cultivado após a derrubada da mata propiciaram menor resistência à penetração ao longo do perfil com valores classi­ficados nas classes baixa e moderada. O sistema sob manejo convencional modificou a estrutura do solo, resultando em menor proporção de solo nas maiores classes de agregados e índice de estabili­dade de agregados. O monocultivo do eucalipto, por meio do cultivo mínimo, preservou as caracterís­ticas físicas originais do solo. 

Arquivos adicionais

Publicado

21/11/2014

Edição

Seção

Solos e Nutrição de Plantas - Soils and Plant Nutrition