Efeito do tamanho na germinação de sementes de mucuna-preta

Autores

  • João Nakagawa
  • Cláudio Cavariani

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2005v33n2p213%20-%20217

Resumo

A mucuna-preta é uma leguminosa empregada na adubação verde, podendo ser utilizada na alimentação animal. As sementes apresentam dormência ocasionada pela impermeabilidade do tegumento à água e, dentre os fatores que podem interferir no grau de dormência, destaca-se o tamanho das sementes. O objetivo do presente trabalho foi estudar o efeito do tamanho da semente sobre o potencial fisiológico de sementes de mucuna-preta. Rácemos colhidos na fase final da senescência das plantas, com as vagens secas e algumas em deiscência, tiveram as sementes extraídas e armazenadas por seis meses, embaladas em saco de papel, em condições ambientais naturais de laboratório. As sementes foram classificadas pela espessura através de peneiras de crivos oblongos de 8 x ¾”; 6 x ¾” e 2 x ¾”; a seguir, as retidas em cada uma dessas peneiras foram classificadas por peneiras de crivo circular 26, 24, 22 e 20. Desta classificação, resultaram seis classes de tamanho (8 x ¾ - 26; 6 x ¾ - 26; 2 x ¾ - 26; 6 x ¾ - 24; 2 x ¾ - 24 e 2 x ¾ - 22) com quantidades representativas, que foram submetidas ao teste de germinação. Foram avaliadas as porcentagens de plântulas normais e anormais, de sementes duras e mortas. Constatou-se que as sementes das classes das menores apresentaram maior porcentagem de sementes duras, porém com maior potencial de germinação que as das classes das maiores.Palavras-chave adicionais: Mucuna aterrima; leguminosa; dormência.

Publicado

16/04/2008

Edição

Seção

Zootecnia - Animal Production