Características químicas e longevidade de plantas envasadas de crisântemo em função da adubação final

Autores

  • Isabele Sarzi
  • Poliana Rocha D'Almeida Mota
  • Roberto Lyra Villas Bôas

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2005v33n1p57-61

Resumo

Existem relatos que apontam um acréscimo na longevidade de plantas envasadas de crisântemo em função da suspensão da adubação final de cultivo. Este trabalho, portanto, teve como objetivo verificar o comportamento de absorção de nutrientes de plantas envasadas de crisântemo 'Puritan', quando suspensa a fertirrigação e reduzida a dose de fertilizantes nas últimas semanas de cultivo, e avaliar sua durabilidade de pós-produção. Os tratamentos foram: T: 50% da dose dos fertilizantes na 0a semana e água a partir da a; T2: 00% da dose dos fertilizantes na 0a semana e água a partir da a; T3: 50% da dose dos fertilizantes na a semana e água a partir da 2a; T4: 00% da dose dos fertilizantes na a semana e água a partir da 2a; T5: 50% da dose dos fertilizantes na 2a semana; T6: 00% da dose dos fertilizantes na 2a semana. Ao final das doze semanas, realizou-se a análise química da parte aérea das plantas. Os vasos destinados à avaliação da longevidade permaneceram em ambiente interno, por um período de 28 dias. Para a maioria dos elementos, não houve diferença significativa em relação aos teores e quantidades de nutrientes. A suspensão da fertirrigação, nas duas últimas semanas (tratamentose 2), proporcionou maior longevidade às plantas, em comparação aos demais tratamentos.Palavras-chave adicionais: fertirrigação; absorção de nutrientes; durabilidade; pós-produção.

Publicado

06/05/2008

Edição

Seção

Zootecnia - Animal Production