Inoculum potential of Stenocarpella complex and its relation with physiological quality of corn seeds

Autores

  • Joana Souza Fernandes Universidade Federal de Lavras http://orcid.org/0000-0003-4404-5254
  • José da Cruz Machado Universidade Federal de Lavras
  • Renato Mendes Guimarães Universidade Federal de Lavras
  • Gabriel de Sousa Teixeira e Silva Universidade Federal de Lavras
  • Anna Laura Cavalcante de Paiva Universidade Federal de Lavras
  • Everson Reis Carvalho Univesidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2016v44n3p362-370

Resumo

Damage caused by Stenocarpella complex greatly reduce corn yield. This work was carried out to evaluate the relation between corn seeds physiological quality of a susceptible genotype and a tolerant genotype submitted to different S. maydis and S. macrospora inoculum potential, separately. Fungal colonies were grown on BDA plus mannitol culture medium, with water potential adjusted at -1.4 MPa. Seeds were inoculated for 0, 24, 48, and     72 hours. Evaluations were carried through seed health test, germination, germination first count, seedling emergence, speed of emergence index (SEI), cold test without media, and esterase enzyme expression. The highest incidence of Stenocarpella sp. was observed in the susceptible genotype. The tolerant genotype did not show typical structures of Stenocarpella complex at seven days. The increase of inoculum potential of S. maydis and S. macrospora on corn seeds generate physiological quality reduction. This quality reduction can be observed from 24 hours of inoculation for the susceptible genotype. The tolerant genotype was not physiologically affected, regardless the inoculation time to which they were submitted. The esterase analyses helped to differ S. maydis and S. macrospora inoculates and can also differ corn seed genotypes, however the reduction of seed quality observed with inoculation of the fungus cannot be detected only by viewing the bands in the gel.

Biografia do Autor

Joana Souza Fernandes, Universidade Federal de Lavras

Atualmente é aluna de Doutorado pelo Programa de Pós Graduação em Agronomia/Fitotecnia da Universidade Federal de Lavras, na área de Produção e Tecnologia de Sementes. Mestre em Agronomia/Fitotecnia na área de Produção e Tecnologia de Sementes e formada em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras em dezembro de 2012 com período de graduação sanduíche na Ohio State University - USA por seis meses no mesmo ano, pelo programa Ciência sem Fronteiras do Governo Federal.

José da Cruz Machado, Universidade Federal de Lavras

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Viçosa (1969), Mestrado em Agronomia (Microbiologia/Fitopatologia) pela Universidade Federal de Viçosa (1974), Doutorado em Fitopatologia/Patologia de Sementes - Manchester University, UK (1980) e Pós-doutorado em Patologia de Sementes CPRO/WU- Wageningen, Holanda. Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitopatologia/Patologia de Sementes. É Bolsista de Produtividade de Pesquisa pelo CNPq, Nível I.Como membro efetivo da UFLA foi Coordenador do Curso de Pós-graduação em Fitossanidade (4 anos), Diretor do Conselho Editorial (10 anos), Coordenador da Área Internacional 15 anos), Pro-Reitor de Pesquisa (2 anos) e Membro de Comitês Técnicos da International Seed Testing Association-ISTA (12 anos) e da Abrates (até o momento).

Renato Mendes Guimarães, Universidade Federal de Lavras

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (1977), mestrado em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (1992) e doutorado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal de Lavras (2000). Atualmente é professor associado da Universidade Federal de Lavras. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Produção e Beneficiamento de Sementes, atuando principalmente nos seguintes temas: Fisiologia de Sementes e Produção e Tecnologia de Sementes.

Gabriel de Sousa Teixeira e Silva, Universidade Federal de Lavras

Graduando em Agronomia, bolsista de iniciação científica no Laboratório de Analise de Sementes na Universidade Federal de Lavras.

Anna Laura Cavalcante de Paiva, Universidade Federal de Lavras

Graduanda em Agronomia, bolsista de iniciação científica no Laboratório de Analise de Sementes na Universidade Federal de Lavras.

Everson Reis Carvalho, Univesidade Federal de Uberlândia

Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal de Lavras, UFLA (2008). Mestrado em Fitotecnia pela UFLA (2010), Departamento de Agricultura, Setor de Grandes Culturas, bolsista CAPES. Doutorado em Fitotecnia (2013), Departamento de Agricultura, Setor de Sementes, UFLA, bolsista CNPq. Pós-doutorado no Departamento de Agricultura, Setor de sementes, UFLA, bolsista CNPq (2014). Professor substituto na Universidade Federal de Lavras (2015). Atualmente, Professor Adjunto na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Instituto de Ciências Agrárias (ICIAG), campus Monte Carmelo, MG. Revisor nos periódicos: Pesquisa Agropecuária Tropical, Científica, Revista Brasileira de Agroambiente, International Research Journal of Agricultural Science, Herald Journal of Geography and Regional Planning, Agricultural Science Research Journal, African Journal of Agricultural Research e Journal of Seed Science (Revista Brasileira de Sementes).

Publicado

18/07/2016

Edição

Seção

Fitotecnia - Crop Production