Relação hipsométrica em inventários pré-corte em povoamentos de Acacia mearnsii De Wild

Autores

  • Carlos Roberto Sanquetta Universidade Federal do Paraná Departamento de Ciências Florestais Laboratório de Inventário Florestal (LIF) Centro de Excelência em Pesquisas sobre Fixação Carbono na Biomassa (BIOFIX)
  • Alexandre Behling Universidade Federal do Paraná Departamento de Ciências Florestais Laboratório de Inventário Florestal (LIF) Centro de Excelência em Pesquisas sobre Fixação Carbono na Biomassa (BIOFIX)
  • Ana Paulla Dalla Corte Universidade Federal do Paraná Departamento de Ciências Florestais Laboratório de Inventário Florestal (LIF) Centro de Excelência em Pesquisas sobre Fixação Carbono na Biomassa (BIOFIX)
  • Marieli Sabrina Ruza Universidade Federal do Paraná Departamento de Ciências Florestais Laboratório de Inventário Florestal (LIF) Centro de Excelência em Pesquisas sobre Fixação Carbono na Biomassa (BIOFIX)
  • Augusto Arlindo Simon Engenheiro Florestal TANAC S. A.
  • Jackson Freitas Brilhante São José Engenheiro Florestal TANAC S. A.

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2014v42n1p80-90

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar modelos matemáticos para descrever a relação hipsométrica em Acacia mearnsii De Wild. (acácia-negra). O estudo foi conduzido em parcelas de 9 x 14 m, instaladas em povoamentos com sete anos de idade (final da rotação), situados nas regiões de maior concentração de plantios nos municípios de Cristal e Piratini, no Estado do Rio Grande do Sul (Brasil). Em cada parcela, todos os indivíduos foram mensurados quanto à altura total e diâmetro à altura do peito (dap). Foram testados 10 modelos matemáticos (de natureza logarítmica e aritmética), sendo a seleção do melhor modelo realizada em função do coeficiente de determinação ajustado (R²), erro-padrão da estimativa (Sxy%), índice de Schlaegel (IA) e análise gráfica dos resíduos. A equação de melhor desempenho foi  Ln h = 3,1851 – 3,8129 x 1/dap – 5,3335 x 1/dap², apresentando IA de 0,53 e Syx de 0,98%, podendo ser utilizada para a predição da altura em inventário pré-cortes.

 

Arquivos adicionais

Publicado

11/04/2014

Edição

Seção

Silvicultura/Engenharia Florestal - Forestry