Predação por Podisus nigrispinus (Heteroptera: pentatomidae) sob efeito da densidade de Alabama argillacea (Lepidoptera: noctuidae) e idades do algodoeiro

Autores

  • José Eudes de Morais Oliveira
  • Sergio Antonio De Bortoli
  • José Ednilson Miranda
  • Jorge Braz Torres
  • José Cola Zanuncio

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2008v36n1p1%20-%209

Resumo

Neste estudo, avaliou-se a capacidade de predação de ninfas de quinto instar e fêmeas adultas de Podisus nigrispinus (Dallas) sobre lagartas de terceiro instar do curuquerê-do-algodoeiro Alabama argillacea (Hüebner), em baixa e alta infestação (uma ou três lagartas por planta) e em três idades do algodoeiro (20, 40 e 60 dias de idade após emergência - DAE). Em campo, plantas engaioladas fo­ram infestadas com A. argillacea e receberam uma ninfa ou uma fêmea adulta do predador por planta. Alta densidade de lagartas e a menor área foliar da planta proporcionaram maiores taxas de predação: 9,52 lagartas/ninfa e 9,78 lagartas/adulto. Sob alta densidade de lagartas, aos 60 dias de idade da planta, a predação foi de 7,76 e 7,46 lagartas por ninfa e adulto, respectivamente. Em labo­ratório, a predação diária e total foi maior para adultos com disponibilidade de 3 lagartas/planta (,3 e 0,4 lagartas diária e total, respectivamente). O ganho de peso de P. nigrispinus decresceu com a idade das plantas nas duas densidades estudadas em campo e na densidade de uma lagarta em laboratório. A predação por P. nigrispinus reduziu a população de A. argillacea, o que refletiu em me­nor desfolha em plantas com baixa densidade de presas, nas três idades da planta, assim como em plantas com até 40 dias de idade e com alta densidade de lagartas. Palavras-chave adicionais: controle biológico, curuquerê-do-algodoeiro, Gossypium hirsutum, per­cevejo predador.

Publicado

14/07/2009

Edição

Seção

Melhoramento Genético Animal - Animal Breeding