Efeito das cultivares e idades de plantas de algodoeiro na capacidade predatória de Orius insidiosus predando Aphis gossypii

Autores

  • José Eudes de Morais Oliveira
  • Sergio Antonio De Bortoli

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2008v36n1p10%20-%2016

Resumo

Avaliou-se a capacidade de predação de fêmeas de Orius insidiosus (Say, 832) (Hemiptera: Anthocoridae) sobre ninfas de terceiro/quarto instar do pulgão Aphis gossypii Glover, 877 (Hemiptra: Aphididae), em plantas de algodoeiro com três diferentes idades (20, 30, 40 dias) e três cultivares (Antares, CNPA7H e Acala 90). Plantas de algodoeiro foram individualizadas e infestadas com quinze indivíduos do pulgão, sendo em seguida liberada uma fêmea do predador por planta. Em todas as cultivares, a taxa de predação não apresentou diferença significativa em função de sua idade e área foliar. O predador O. insidiosus apresentou para menor e maior área foliar, respectivamente, taxa de predação média variando de 4,94 ± ,55 a 3,8 ± ,76 pulgões, nas cultivares Acala 90 e CNPA7H, respectivamente. As diferentes áreas foliares exibidas pelas três idades da planta não afetaram a taxa de predação do pulgão. Esse resultado indica que a capacidade de busca do predador por sua presa pode não ter sido afetada pelas variáveis idade da planta e área foliar em plantas de algodoeiro com até quarenta dias de idade.  Palavras-chave adicionais: Gossypium hirsutum, percevejo predador, pulgão-do-algodoeiro, controle biológico.

Publicado

14/07/2009

Edição

Seção

Melhoramento Genético Animal - Animal Breeding