Variabilidade mensal e sazonal da temperatura do solo em diferentes condições de cobertura e de profundidades na região de Tangará da Serra, Mato Grosso

Autores

  • Karolina Ascari Souza de Oliveira Universidade do Estado de Mato Grosso -UNEMAT
  • Rivanildo Dallacort Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT
  • Joao Danilo Barbieri Universidade Estadual de maringá - UEM
  • Diego Fernando Daniel Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT
  • Rafael Cesar Tieppo Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT
  • Silmara Bispo dos Santos Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2019v47n3p256-268

Resumo

O objetivo deste estudo foi comparar as respostas térmicas em dois tratamentos experimentais (solo descoberto e solo cultivado com grama) durante o período seco e chuvoso, e nas estações do ano (primavera, verão, outono e inverno) para a região de Tangará da Serra - MT. O monitoramento das variações na temperatura do solo, nos sítios de avaliação, foi realizado continuamente, do período de abril de 2014 a abril de 2015. Avaliou-se a tempe­ratura do solo em clima tropical úmido megatérmico (AW), em um Latossolo Vermelho distroférrico muito argi­loso, na região sudoeste do Estado de Mato Grosso. Foram instalados sensores Termopar tipo K, nas profundi­dades de 5; 10; 20 e 40 cm, conectados a um datalogger. Os resultados apresentaram alterações significativas entre os diferentes tratamentos e meses estudados. As médias de temperatura de solo horária durante a estação chuvosa foram superiores às registradas durante a estação seca, porém as amplitudes térmicas, durante o perí­odo seco, foram superiores às do período chuvoso, destacando-se o papel fundamental da cobertura no solo, na redução da amplitude térmica e da umidade na condução de calor entre as camadas. As maiores oscilações na temperatura e na amplitude térmica, em ambos os tratamentos e meses estudados, foram observadas aos 5 cm, seguidas das demais camadas avaliadas. Na análise de estações do ano, verificou-se que, durante o inverno, as temperaturas são inferiores às ocorridas no verão, na primavera e no outono, porém a amplitude térmica regis­trada é superior durante o inverno em relação às outras estações do ano.

Biografia do Autor

Karolina Ascari Souza de Oliveira, Universidade do Estado de Mato Grosso -UNEMAT

Mestre em Ambiente e Sistemas de Produção Agrícola

Rivanildo Dallacort, Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Professor do programa de pós graduação em Ambiente e Sistema de Produção Agrícola

Joao Danilo Barbieri, Universidade Estadual de maringá - UEM

Doutorando em Agronomia, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Diego Fernando Daniel, Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Graduando em Agronomia

Rafael Cesar Tieppo, Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT

Professor Adjunto do departamento de Agronomia

Silmara Bispo dos Santos, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

Professora Adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Ciências Agrárias e Tecnológicas/Engenharia Mecânica

Publicado

09/09/2019

Edição

Seção

Agrometeorologia - Agrometeorology