Produtividade da abobrinha ‘Caserta’ em função do nitrogênio e gel hidrorretentor

Autores

  • Leandro Oliveira Azambuja Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade Universitária de Aquidauana.
  • Cleiton Gredson Sabin Benett Instituto Federal Goiano, IF Goiano - Campus Urutaí. Rodovia Geraldo Silva Nascimento Km 2,5 Zona Rural 75790000 - Urutaí, GO - Brasil Telefone: (64) 34651900
  • Katiane Santiago Silva Benett Universidade Estadual de Goiás (UEG), Unidade Universitária de Ipameri.
  • Edilson Costa Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade Universitária de Cassilândia.

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2015v43n4p353-358

Resumo

A cultura da abobrinha tem grande importância na economia olerícola, devido a sua produtividade elevada, grande aceitação pelos consumidores e rápido retorno financeiro. O objetivo deste trabalho foi avaliar a aplicação de gel hidrorretentor e doses de nitrogênio (N) sobre os componentes de produção e de produtivi­dade da abobrinha cultivar Caserta. O experimento foi desenvolvido no período de abril a julho, no municí­pio de Aquidauana-MS. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, em esquema fatorial 2 x 5, sendo os tratamentos constituídos pela utilização do gel hidrorretentor (com e sem aplicação) e cinco doses de N (0; 50; 100; 150 e 200 kg ha-1), com quatro repetições. A semeadura da abobrinha ‘Caserta’ foi realizada manual e diretamente nas covas. As doses de N foram aplicadas em dose única, ao redor de cada cova, aos 20 dias após a emergência. Foram avaliados os teores de N foliar, a altura de planta, o diâmetro de caule, o comprimento de frutos, o diâmetro apical, médio e basal do fruto, o número e a produtividade comercial de frutos. A aplicação do gel hidrorretentor não influencia na produção da abobri­nha cultivar Caserta. As doses de nitrogênio incrementam linearmente os componentes de produção, tanto para o número de frutos quanto para a produtividade.

 

Palavras-chave adicionais: Cucurbita pepo; polímero; ureia.

Biografia do Autor

Leandro Oliveira Azambuja, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade Universitária de Aquidauana.

Departamento de Agronomia. Área de Fitotecnia.

Cleiton Gredson Sabin Benett, Instituto Federal Goiano, IF Goiano - Campus Urutaí. Rodovia Geraldo Silva Nascimento Km 2,5 Zona Rural 75790000 - Urutaí, GO - Brasil Telefone: (64) 34651900

Departamento de Engenharia Agrícola. Área de Fitotecnia e Mecanização Agrícola.

Katiane Santiago Silva Benett, Universidade Estadual de Goiás (UEG), Unidade Universitária de Ipameri.

Departamento de Agronomia. Área de Olericultura e Sementes.

Edilson Costa, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade Universitária de Cassilândia.

Departamento de Agronomia. Área de Ambiência e Olericultura.

Publicado

01/10/2015

Edição

Seção

Fitotecnia - Crop Production