Efeitos de quatro doses de potássio em seis cultivares de arroz irrigados por aspersão. II. Rendimento de benefício e de grãos inteiros

Autores

  • Charline Zaratin
  • Sandra Aparecida de Souza
  • Antonio Carlos Pantano
  • Marco Eustáquio de Sá
  • Oriovaldo Arf
  • Salatiér Buzetti

DOI:

https://doi.org/10.15361/1984-5529.2004v32n2p121-126

Resumo

O presente trabalho teve como objetivos estudar os efeitos de quatro níveis de potássio (0, 20, 30, e 40 kg/ha de K2O), usando como fonte o cloreto de potássio, sobre a qualidade de grãos de seis cultivares de arroz de sequeiro (IAC-20, Carajás, Caiapó, Canastra, Araguaia e Cirad 4). Metade do potássio foi aplicado na semeadura, e o restante, no início do florescimento (50% das plantas da parcela com início de emissão das panículas). Em todas as parcelas, foi usada adubação básica de 40 kg/ha de P2O5, usando-se como fonte o superfosfato simples, 0 kg/ha de N na semeadura e cobertura nitrogenada de 60 kg/ha de N, 30 dias após a emergência das plantas; a fonte de nitrogênio, na semeadura, foi o sulfato de amônio, e em cobertura, a uréia. A cultura foi irrigada por aspersão, com o equipamento pivô central. As avaliações dos parâmetros de qualidade de grãos (peso hectolítrico, porcentagem de grãos polidos, porcentagem de grãos inteiros e porcentagem de grãos quebrados) evidenciaram diferenças significativas entre cultivares. As doses de potássio afetaram a porcentagem de grãos quebrados, de grãos polidos e de grãos inteiros. A aplicação de potássio reduziu significativamente a porcentagem de grãos quebrados.Palavras-chave adicionais: arroz de sequeiro; qualidade de grãos; irrigação suplementar; adubação.

Publicado

07/05/2008

Edição

Seção

Zootecnia - Animal Production